Quinta, 20 de setembro de 2018
89 98106-9327
Política/Eleições

26/06/2018 ás 13h46 - atualizada em 26/06/2018 ás 13h59

Redacao I

Bom Jesus / PI

Em coletiva, Ciro confirma que partido desiste de indicar vice de Wellington Dias
'Estivemos com o governador no domingo ele disse que cada partido terá uma vaga na chapa. Isso exclui a Margarete', disse.
Em coletiva, Ciro confirma que partido desiste de indicar vice de Wellington Dias

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, confirmou em coletiva na manhã desta terça-feira (26) que o partido abre mão de disputar a vaga de vice na chapa de reeleição do governador Wellington Dias (PT). A coletiva acontece na residência do senador, no bairro Santa Isabel, zona Leste de Teresina. Ele reuniu a imprensa e anunciou mudanças na estratégia do partido para a eleição de outubro. Após conversa com o governador Wellington Dias (PT), o Progressistas renuncia a indicação do vice na chapa de reeleição do petista.E a vice-governadora, Margarete, será agora candidata à deputada federal.


"Estivemos com o governador no domingo ele disse que cada partido tera uma vaga na chapa. Isso exclui a Margarete. Então anunciou que o PP sai da disputa de vice."


Ciro explicou que apesar do partido desistir da vaga de vice, o Progressistas se mantém na base aliada do governador Wellington Dias (PT). Segundo o senador, a aliança se deve a um projeto político e não a cargos. Durante o pronunciamento, Ciro admitiu que o partido fica frustrado com a decisão. Diante disso, Ciro diz que o partido mantém o projeto político de eleger o governador de 2022.


Segundo ele, agora o partido vai com força total para a disputa de 2022. "O que muda é que vamos com mais vontade para 2022. Isso até para compensar essa frustração que aconteceu com a não indicação da Margarete. O Progressistas esta unido. 90% do partido queria adiantar esse projeto de 2022 para 2018. Vamos cumprir nossa matéria e o que prometemos desde 2014. Mostra que somos coerente. Nosso projeto de 2022 mostra que está cada vez mais vivo", disse.


Apoio a Themístocles


Com o caminho aberto para os aliados, o senador já comunicou que apoia a indicação do deputado estadual Themístocles Filho para a vice de Wellington Dias. 


"Não tem como apoiar o governador sem o vice. Vamos apoiar o nome que for escolhido pelo governador. Seja o deputado Themístocles Filho ou outro nome", declarou. O senador garantiu ainda que a decisão não afeta o apoio ao governador Wellington Dias. "O PP tem palavra. É um partido de palavra. Continuamos na base do governador. Fazemos parte de um projeto político. Não nos agarramos á disputa por cargos. Continuamos na base de apoio", disse Ciro.


A decisão causa um problema futuro para o Progressistas. Como o partido vai ter candidato em 2022 já se coloca como adversário do MDB, que pode indicar o vice para reeleição. Isso se de fato o governador Wellington Dias for reeleito e renunciar em 2022 para disputar o Senado Federal.
Neste caso, Themístocles assumiria o governo e poderia disputar a reeleição. Progressistas e emedebista estaria juntos em 2018 já sabendo que poderão estar em palanques opostos em 2022.


MARGARETE


Bastante emocionada, a vice-governadora Margarete Coelho (Progressistas) falou durante a coletiva que não se sente diminuída ao deixar a vaga de vice para concorrer a deputada. Ela diz que pediu ao governador Wellington Dias (PT) um critério para a escolha e lamenta que não tenha sido o capital político.


Os Progressistas dizem que nas pesquisas internas, Margarete saiu em vantagem com relação ao nome do deputado Themístocles Filho, que deve ser o indicado pelo MDB.


"Não me sinto diminuída. O cargo de deputada federal é um grande cargo. Tem uma importância social muito grande. Tenho certeza que mostrei que vice pode trabalhar. Eu pedi um critério para o governador e infelizmente não foi o capital político. Ele escolheu uma vaga por cada partido. Não parei para pensar se é justo ou não ", disse. 


Com pouco mais de três meses da eleição, Margarete fala do desafio de conquistar o eleitor na disputa com os deputados federais que já têm os colégios eleitorais praticamente definidos.


"Eu sempre contei com o meu partido. O meu partido sempre me deu espaço para crescer. Sempre tive o apoio do senador Ciro Nogueira. Isso é uma questão completamente clara para mim. Tem espaços para todos, mas principalmente para este discurso do diálogo. De olhar para as pessoas e para as necessidades das pessoas. Para sair do gabinete do deputado e do político quero representar os que se sentem órgãos de representatividade", disse. 
Margarete confirma a dobradinha com a primeira-dama, Lucy Soares, pré-candidata a deputada estadual. "A Lucy é uma pessoa que tem uma posicionamento igual a nossa. Faz campanha andando, ouvindo as pessoas", declarou.

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados