Quinta, 15 de novembro de 2018
89 98106-9327
Policial

10/07/2018 ás 14h55 - atualizada em 13/07/2018 ás 10h27

REDAÇÃO

Bom Jesus / PI

Acusado de mandar matar ex-prefeito vai a júri após 13 anos
Piauí
Acusado de mandar matar ex-prefeito vai a júri após 13 anos

O júri popular do acusado de matar o ex-prefeito de Domingos Mourão, Aluiz Ferreira Viana, acontece nesta terça-feira (10) no Fórum Desembargador João Turíbio de Santana no municipio de Piripiri. O julgamento acontece após 13 anos do crime, ocorrido no dia 24 de setembro de 2005. O réu é o empresário Elano Barroso de Oliveira. O Ministério Público do Piauí ofereceu a denúncia. Por volta das 11h30, o acusado respondeu as perguntas da juíza e do assistente de defesa. 


A viúva de Aluiz Viana, Lúcia dos Santos Viana, e os filhos Fabrício e Diego Viana, relatam que o processo é doloroso, pedem que todos os culpados sejam presos e seja feita Justiça. O ex-prefeito foi morto com sete tiros. 


“A família sofre há 13 anos a perda do meu marido e luta para que os culpados sejam punidos. O Aluiz (Viana) deixou órfãos não apenas meus filhos, mas milhares de pessoas em Domingos Mourão. Nós clamamos a Deus por Justiça e acreditamos que a Justiça dos homens seja feita”, declara a viúva Lúcia Viana.  


O julgamento será presidido pela juíza da 1ª Vara Criminal da Comarca de Piripiri, Luciana Cláudia Medeiros de Souza. O processo tem oito volumes e 1.800 páginas, já foi acompanhado por vários promotores, sendo o promotor de Justiça, Meton Filho, já falecido, o autor da denúncia à Justiça.


A promotora de Justiça Ana Cecília Rosário Ribeiro e mais dois advogados assistentes vão fazer parte da banca de acusação. Um dos advogados é o Dr. Virgílio Bacelar, de Teresina. A defesa do empresário Elano Barroso será feita pelo advogado de Piripiri, Antonio Ferreira Filho. 


 O crime


O assassinato aconteceu na madrugada do dia 24 de setembro de 2005, quando o ex-prefeito Aluiz Ferreira Viana saía de uma seresta, no Bar Toinho da Torre, no bairro Prado, zona Sul de Piripiri. O político foi alvejado com vários tiros desferidos por dois pistoleiros, identificados como os irmãos Cristóvão e Crisdean Neves, que era adolescente na época.


Em 2009, um dos irmãos, Cristóvão Neves, mais conhecido como Tovim, foi morto a tiros em São Paulo; a suspeita é de que tenha sido "queima de arquivo". A investigação da polícia apontava que ele pode ter sido morto quando tentava extorquir dinheiro do empresário Elano Barroso, dono da empresa E.L Barroso Tur, que faz linha Piripiri - São Paulo.

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados