Bom Jesus-PI, cidade sede do Portal B1



Bom Jesus é

um município brasileiro do estado do Piauí. Localizada na região do Vale do Rio Gurgueia, a cidade é muito rica em água subterrânea. Os poços jorrantes (a água sai sem precisar de bombeamento) são abundantes. A precipitação pluviométrica média é de 900 a 1200 milímetros por ano. Entretanto, localizada a 635 km da capital Teresina, Bom Jesus apresenta alguns problemas naturais de cidades pequenas que, de repente, passam por um processo de crescimento acelerado. Bom Jesus é também o município onde são registradas uma das temperaturas mais elevadas do Brasil, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. Lá, os termômetros freqüentemente ultrapassam os 40°C, podendo por vezes chegar a 45°C.

A partir da década de 1990 a cidade recebe produtores de grãos do Sul do BrasilUruguai e Paraguai para cultivo de soja nos cerrados do Piauí, principalmente em Bom Jesus e Uruçuí, o que fez a região despontar desde então economicamente.

No início do século XIX (1801), chegou e fixou residência o Senhor Nicolau Barreiros, devoto do Senhor Bom Jesus da Boa Sentença. Com sua visão profética, ergueu para honra do Santo, uma Capela de Palha às Margens do Riacho Grotão, um pouco afastado da confluência com o Rio Gurgueia por ser uma área de topografia alta, portanto isenta das Inundação do Rio Gurguéia. A este local denominou de Buritizinho, motivado pela existência de um tipo de palmeira chamada buriti próximo ao local escolhido para construção da capela (hoje local onde se encontra construída a Igreja Matriz). Em seguida iniciou a celebrar Novena em homenagem a Bom Jesus da Boa Sentença, imediatamente os festejos atingiu grande quantidade de Romeiro, com isso havendo um grande desenvolvimento comercial e consequentemente a fixação de famílias no entorno da capela. Antes de falecer, Nicolau fez doação de uma posse de terra para formação do patrimônio.

Com a rápida ascensão de destaque do aglomerado de residências ao redor da capela, já no ano de 1804 foi criado um comando militar para manutenção da ordem pública. Portanto, da iniciativa e visão deste profético senhor, nasceu a cidade de Bom Jesus, que recebeu este nome em homenagem ao senhor Bom Jesus da Boa Sentença, que hoje representa um eixo em torno do qual gira a economia agrícola de todo sudoeste piauiense. Dizem os historiadores que Nicolau Barreiros (ou Barrente) era de família humilde, até mesmo descendente direto de Escravo africanos – fato que sem dúvida demonstra a dignidade desse digno fundador de Bom Jesus.

No final do século XX, no ano de 1996 tem início o desbravamento do cerrado da Serra do Quilombo para produção de soja. Já no ano de 1998 o prefeito Adelmar Benvindo realiza a 1ª festa do arroz na Serra do Quilombo com o objetivo de divulgar a produção e atrair investidores para a região. O plano deu certo, conseguindo energia elétrica (60 km), construção da ladeira de acesso à serra e isenção do ITBI para os produtores que viesse a se estabelecer como proprietários. Em 2005, a Serra do Quilombo tornou-se o maior centro de produção de soja do sudoeste piauiense, contribuindo fundamentalmente para o desenvolvimento do município nos setores de comércio, indústria e serviços.

Agronegócio

Localizada na região dos cerrados piauienses, a cidade de Bom Jesus tem passado por um período de rápido crescimento populacional e econômico em função da expansão na área agrícola. Na década de 1990, produtores de grãos, principalmente de soja do Rio Grande do SulSanta CatarinaParanáUruguai e Paraguai começaram a chegar e a cultivar soja nos cerrados do Piauí, principalmente em Bom Jesus e Uruçuí. Hoje, aproximadamente 430 mil hectares são cultivados com soja, arroz e algodão nessa região, considerada a última fronteira agrícola do Brasil.

Localizada na região do Vale do Rio Gurgueia, a cidade é muito rica em água subterrânea. Os poços jorrantes (a água sai sem precisar de bombeamento) são abundantes. A precipitação pluviométrica média é de 900 a 1200 milímetros por ano. Entretanto, localizada a 635 km da capital Teresina, Bom Jesus apresenta alguns problemas naturais de cidades pequenas que, de repente, passam por um processo de crescimento acelerado.

Universidades[editar | editar código-fonte]

Atualmente conta com duas universidades públicas: a Universidade Federal do Piauí (UFPI), e a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), além de duas Faculdades privadas.

O Campus Dom José Vásquez Diaz (UESPI), conta com cursos de graduação como Licenciatura Plena em Pedagogia e Bacharelado em Direito, entre outros.

Campus Professora Cinobelina Elvas da UFPI, oferece cinco cursos de graduação e três mestrados: Licenciatura em BiologiaZootecniaEngenharia AgronômicaEngenharia FlorestalMedicina Veterinária e os Mestrados em Solos e Nutrição de Plantas, Fitotecnia e Zootecnia. As instalações do Campus estão quase concluídas e a procura pelos cursos na região é alta.

Clima

Possui um clima tropical com características sazonais e maior concentração pluviométrica nas estações primavera-verão. Estando na mesorregião ecológica dos cerrados piauienses, o município apresenta temperaturas relativamente estáveis, porém bastante sensíveis à mudanças bruscas, o que faz do município o recordista na lista de temperaturas mais elevadas em todo o Brasil.

A temperatura média anual é de 26,2 °C. Julho é o mês mais seco, com precipitações médias de 3 mm. Por outro lado, com média de 169 mm, o mês de março apresenta-se como o mês de maior precipitação[7].

Como apontam os dados do INMET, a média pluviométrica do município gira em torno dos 1000 mm anuais. Na região, o principal recurso hídrico provem do Rio Gurgueia, importante afluente do Rio Parnaíba e principal rio da mesorregião do sudoeste piauiense.

A uma altitude média de 277 metros acima do nível do mar, o município possui um relevo bastante irregular, em grampe parte formado por chapadas de altitude e pequenos planaltos, nos quais situam-se as principais áreas de cultivo do milho e da soja[8]. O relevo do perímetro urbano é bastante acidentado, apresentado grande ladeiras e encostas.

Recordes climáticos

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período entre 1973 e 2013, a menor temperatura registrada em Bom Jesus foi de 10,5 ºC em 15 de junho de 1975,[9] e a maior atingiu 44,7 ºC em 21 de novembro de 2005,[10] a mais alta já registrado em todo o Brasil.[11] Quanto aos acumulado de chuva observado em 24 horas, tem-se:

  • 147 milímetros em 14 de novembro de 1989.
  • 122,8 milímetros em 10 de fevereiro de 1980.
  • 115 milímetros em 11 de março de 2006.
  • 111,2 milímetros em 1 de janeiro de 1981.
  • 110,2 milímetros em 17 de abril de 1988.
  • 107,6 milímetros em 15 de novembro de 1978.
  • 105 milímetros em 30 de novembro de 1992.
  • 100,8 milímetros em 14 de março de 1974.[12]