Terça, 23 de Julho de 2024
16°C 35°C
Bom Jesus, PI
Publicidade

Urnas terão novo recurso de voz para pessoas com deficiência visual

Para auxiliar na hora de votar.

07/04/2024 às 08h05
Por: Redação B1 - Gilbués
Compartilhe:
Urnas terão novo recurso de voz para pessoas com deficiência visual

A urna eletrônica será equipada com um novo recurso de acessibilidade para auxiliar pessoas com deficiência visual na hora de votar. A partir das Eleições Municipais de 2024, a voz sintetizada Letícia guiará eleitoras e eleitores cegos ou com baixa visão por uma nova experiência eleitoral.

Além de oferecer instruções básicas para dar início ao processo, a ferramenta de sintetização informará o cargo que está em votação no momento, os números digitados e o nome da candidatura escolhida.

Ao entrar na seção eleitoral e se identificar, a pessoa deve comunicar a deficiência visual à equipe de mesárias e mesários, que habilitará a urna e entregará fones de ouvido para uso durante a permanência na cabine eleitoral.

Juntas, as medidas garantem a preservação do anonimato da votação e a autonomia das eleitoras e dos eleitores com deficiência. Todos os modelos de urna utilizados nos dias 6 (primeiro turno) e 27 de outubro (data do segundo turno) estarão equipados com a inovação.

Mas, afinal, de quem é a voz da urna eletrônica?

A voz sintetizada Letícia pertence à atriz e cantora volta-redondense Sara Bentes, que nasceu com deficiência visual. Como o processo de integração foi realizado por meio um software livre, criado por programadores cegos, que converte o texto em fala e funciona como uma espécie de ‘banco de vozes’ público, ela tinha conhecimento de que o recurso ajudaria muitas pessoas, mas ainda não sabia que seria a nova voz da urna eletrônica. A descoberta ocorreu na última segunda-feira (1º), dia em que Sara comemorou mais um ano de vida.

“Foi uma surpresa muito positiva. Pensei: 'Olha que presente de aniversário interessante!', porque, quando fiz esse trabalho para a voz sintetizada Letícia, a gente doa a nossa voz. Não existe nenhum tipo de direito autoral com isso. A gente doa a voz e não tem noção de onde isso vai parar”, relatou Sara Bentes.

Para o projeto de sintetização, a cantora explicou que precisou gravar mais de 30 horas de leitura em voz alta em um estúdio profissional. A partir dessa amostragem, foi formada a voz sintética, batizada de ‘Letícia’ por ser o segundo nome da autora da gravação.

Quando perguntada sobre a sensação de ser a nova voz da urna eletrônica, Sara se disse realizada.

“Tudo o que venho fazendo, seja em relação à voz Letícia, seja por meio da minha arte, é para promover mais equidade, é para valorizar a diversidade, é para trazer mais consciência e para melhorar a vida das pessoas. Ser a voz da urna é uma realização muito forte, muito significativa, muito bonita, porque faz parte de tudo que eu acredito e de todo meu movimento por mais inclusão e mais acessibilidade”.

Como a voz Letícia foi parar na urna eletrônica

O chefe da Sevin, Rodrigo Coimbra, contou que os primeiros passos para a instalação da novidade foram dados após a recomendação da Organização Nacional de Cegos do Brasil, apresentada durante reunião da entidade com a Secretaria de Modernização, Gestão Estratégica e Socioambiental (SMG), Assessoria de Gestão Eleitoral (Agel) e Assessoria de Inclusão de Diversidade (AID) do TSE em outubro de 2022.

Tudo começou com a obtenção do código-fonte do RHVoice pela Seção de Voto Informatizado, já equipado com o modelo da voz Letícia, seguida da etapa de configuração do software para uso no equipamento. Depois, o sintetizador de voz foi integrado à urna eletrônica para que as orientações sobre a votação e as escolhas realizadas no momento do voto (incluindo os nomes das candidaturas) fossem faladas para eleitoras e eleitores que utilizam o recurso de acessibilidade.

“A Sara fez as gravações, uma equipe de desenvolvimento de software treinou o modelo e o embarcou no sistema RHVoice, que permite a sintetização de voz e suporta diversas línguas. Nesse momento, a voz embarcada passou a ser chamada de Letícia [voz de Sara Bentes], utilizada para o português do Brasil”, disse Rodrigo Coimbra.

Sistema Braile, vídeo em Libras e outros recursos de acessibilidade

A garantia da plena inclusão dos mais de 1,3 milhão de eleitoras e eleitores que declararam ter algum tipo de deficiência no processo de escolha de representantes é uma das missões da Justiça Eleitoral. Além da voz Letícia e do inconfundível “pilili”, alerta sonoro emitido pela urna que indica o término da votação, o equipamento conta com outros recursos de acessibilidade, como:

- Sistema Braile e identificação da tecla “5” do teclado da urna, que é similar ao do telefone;

- Apresentação de um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) na tela para informar, às eleitoras e aos eleitores com deficiência auditiva, os cargos que estão em votação no momento.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sem foto
Sobre o município
Geral
Ver notícias
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,57 -0,05%
Euro
R$ 6,07 -0,03%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,32%
Bitcoin
R$ 393,739,17 -1,58%
Ibovespa
127,859,63 pts 0.19%
Publicidade