Terça, 23 de Julho de 2024
16°C 35°C
Bom Jesus, PI
Publicidade

Niède Guidon recebe título de Doutora Honoris Causa da UFPI

A pesquisadora franco-brasileira de 91 anos é responsável por realizar uma das maiores pesquisas arqueológicas ao encontrar desenhos que abriram portas para uma nova teoria: a de que a chegada do homem à América aconteceu muito antes do que se pensava.

11/07/2024 às 08h14 Atualizada em 12/07/2024 às 08h56
Por: Redação B1- Bom Jesus-PI Fonte: G1
Compartilhe:
Niède Guidon recebe título de Doutora Honoris Causa da UFPI

A arqueóloga Niède Guidon recebeu nesta quarta-feira (10) o título Doutora Honoris Causa da Universidade Federal do Piauí (UFPI), pelos seus mais de 50 anos de trabalho à frente das pesquisas arqueológicas realizadas na Serra da Capivara, no Sul do Piauí. A solenidade ocorreu em sua residência, em São Raimundo Nonato.

A pesquisadora franco-brasileira de 91 anos é responsável por realizar uma das maiores pesquisas arqueológicas ao encontrar desenhos datados de até quase 30 mil anos. O sítio escavado por ela em 1973 abriu portas para uma nova teoria: a de que a chegada do homem à América aconteceu muito antes do que se pensava.

A concessão do título de Doutor Honoris Causa representa a maior honraria dos segmentos honoríficos da UFPI, sendo concedida apenas a pessoas que tenham prestado significativas contribuições públicas à Universidade.

A proposta foi apreciada e aprovada pelo Conselho Universitário, e a distinção reconhece o agraciado como possuidor de caráter ilibado, comportamento exemplar e compromisso com o ensino superior, cultura e paz mundial.

"O título é uma forma de reconhecimento ao seu excepcional trabalho e dedicação, realizados para promover e divulgar o Parque Nacional Serra da Capivara. A parceria entre a UFPI e o Parque Nacional é de extrema importância, pois ambas as instituições trabalham juntas para promover o desenvolvimento da região e incentivar a pesquisa arqueológica", disse o reitor da UFPI, Gildásio Guedes.

50 anos revelando a história

Niède veio ao Piauí em 1970, como professora na França, para conhecer as pinturas rupestres em São Raimundo Nonato. A jovem pesquisadora fez uma das maiores descobertas arqueológicas ao encontrar desenhos datados de cerca de 30 mil anos.

Seus achados indicam a presença do homem americano anterior à teoria do Estreito de Bering, que datam de 13 mil anos o povoamento das Américas pelo Homo sapiens vindo da Ásia.

"Em 1973, eu voltei com uma equipe de alunos e aqui ficamos mais de um mês fazendo o levantamento dessas pinturas e vimos a quantidade impressionante de sítios e a importância da região", comentou durante posse na Academia Piauiense de Letras (APL), em 2020.
O trabalho de Niède revelou mais de 800 sítios pré-históricos, com pinturas rupestres, ferramentas e outros vestígios dos primeiros habitantes humanos da América, descobertos em escavações arqueológicas realizadas principalmente em abrigos rochosos naturais com muitas pinturas rupestres (foto abaixo).
 

Somente em 1979 foi criado o Parque Nacional da Serra da Capivara, e no ano seguinte surgiu a Fundação do Homem Americano para facilitar e financiar as pesquisas na região.

Graças às descobertas da arqueóloga, a Unesco reconheceu o Parque Nacional da Serra da Capivara como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Homenagens

A importância do trabalho de Niède foi reconhecida por todo o mundo, e ela recebeu homenagens de todo tipo: desde documentários, a o nome de um pássaro e uma ópera.

Niède Guidon protege há quase quatro décadas tesouros da arqueologia brasileira — Foto: FUNDHAM

Niède Guidon protege há quase quatro décadas tesouros da arqueologia brasileira — Foto: FUNDHAM

Documentário 'Niède'

Em 2019 foi finalizado um documentário sobre a trajetória e Niède na Serra da Capivara (trailer acima).

O filme teve sua estreia em 5 de junho, na Pedra Furada, na cidade de Coronel José Dias, que compreende parte da serra em seu território. Foi a primeira vez que Niède e a comunidade o assistiram.

Niède imortal da APL

Em 2020, Niède tomou posse na cadeira de número 24 na Academia Piauiense de Letras (APL), em uma solenidade virtual por conta da pandemia de Covid-19.

Pássaro ganha nome de Niède

Em junho de 2024, Niède foi homenageada com o nome da ave Sakesphoroides niedeguidonae, uma nova espécie catalogada e que vive no entorno do Parque Serra da Capivara. Anteriormente, o pássaro estava classificado na classe das chocas-do-nordeste (Sakesphoroides cristatus), mas pesquisadores descobriram que devido a alterações no curso do Rio São Francisco, as aves tornaram-se duas espécies distintas.

Entre as aves estudadas, está uma fêmea adulta de niedeguidonae encontrada na Serra Vermelha, no entorno do Parque Nacional Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, a 521 km de Teresina. Dois dos pesquisadores, Pablo Cerqueira e Gabriela Gonçalves, são piauienses.

Ópera da Serra da Capivara

Em 2022, Niède foi o tema central de um espetáculo da Ópera da Serra da Capivara.

O espetáculo retratou diversos momentos da vida da arqueóloga, da infância a fase adulta. Dos anos de estudos em Paris até a mudança da capital francesa para o meio da Caatinga.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Sem foto
Sobre o município
Geral
Ver notícias
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,57 -0,05%
Euro
R$ 6,07 -0,03%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,32%
Bitcoin
R$ 395,302,69 -1,19%
Ibovespa
127,859,63 pts 0.19%
Publicidade