Preços baixos é na loja ASTRO-REI de Bom Jesus, realize o seu sonho agora mesmo...
Armazém Credimar
ASTRO-REI1
Casas Bhaiana
GILBUÉS-PI

Pedida a prisão do presidente da Câmara de Gilbués

A denúncia foi protocolada na Procuradoria Geral de Justiça pelo vereador Erivan Martins da Silva.

24/05/2019 11h05Atualizado há 3 meses
Por: João Victor
Fonte: GP1
Dimas Rosa de Medeiros
Dimas Rosa de Medeiros

O vereador de Gilbués, Erivan Martins da Silva, protocolou uma representação criminal com pedido de prisão preventiva, nesta quinta-feira (23), contra o presidente da Câmara Municipal, Dimas Rosa de Medeiros, acusado de formação de quadrilha e infração ao Estatuto do Desarmamento. A denúncia foi protocolada na Procuradoria Geral de Justiça.

Também foram denunciados, o vice-presidente da Câmara, Henrique de Sousa Guerra; o segurança Nivaldo Lopes de Sousa, conhecido como Sadan; Ezequias Soares Ferreira e Rogério Reis Nascimento Silva, vulgo Rogério do Zé do Bodão.

Ligação

O vereador Erivan Martins da Silva relatou na denúncia, que no dia 18 de maio deste ano, por volta das 15h48, a vereadora Iara de Sousa Aguiar recebeu uma ligação no seu celular, que aparentemente teria sido realizada por descuido, já que Iara falou algumas vezes a interjeição “alô”, sem que fosse respondida.

A vereadora possui em seu celular um aplicativo que grava as ligações, tanto as recebidas quanto as realizadas, tendo o mesmo gravado a ligação que durou 27 minutos.

 Ainda de acordo com a denúncia, a gravação contém fortes indícios de cometimentos ilícitos criminais e tramas políticas. O vereador Erivan relatou que a conversa aconteceu entre o presidente e o vice-presidente da Câmara, onde Dimas ordena que Ezequias providenciasse junto a Nilvado, mais conhecido como "Sadan", armas e munições. Foi ressaltado que Sadan é conhecido por fazer segurança privada na cidade, sempre portando arma de fogo.

“Registre-se, por volta dos 08’43’’ da gravação, Dimas avisa: 'este calibre somente Sadan tem'. Sem querermos ser pitanusa de delfos e sem maiores ginásticas mentais, vislumbra-se tratarem de armas de calibre restrito”, diz trecho da representação.

Em outro ponto da denúncia, Erivan destacou que Dimas faz uma ressalva aos 09’ 25”: “se não arrumar [arma com Sadan] vai atrás de um bandido desses aí, o filho de Zé do Bode [o denunciado Rogério Reis] que ele tem”.

Erivan Martins declarou que em outro momento da gravação, Dimas repassa cuidados que devem ser tomados. “Vai você [Ezequias ou Henrique], pois se a polícia me pega estou enrolado e se [Ezequias] for preso não vá dizer que era pra mim, não, é melhor você ir preso dois dias, ficar por lá, depois vão lhe buscar”.

Na denúncia, Erivan, que também é policial militar, ainda afirmou que o vereador Rogério responde a processo na Justiça acusado de tráfico ilícito de entorpecentes.

Pedido

Na representação é pedida a decretação da prisão preventiva dos denunciados, “ante a gravidade e para garantir a conveniência da persecução criminal fundamentada em dados concretos extraídos do áudio, que evidenciam a necessidade da imposição da prisão preventiva notadamente porque consta verossimilhança de trama de quadrilha sendo imperiosa a imposição da medida extrema”.

O que diz o vereador Dimas Rosa

O GP1 entrou em contato com o presidente da Câmara, Dimas Rosa, que afirmou ter provas de que não possui qualquer passagem pela polícia ou até mesmo processos contra ele tramitando na Justiça. Ele disse que a denúncia contra ele aconteceu porque no dia 20 de maio, a Câmara Municipal de Gilbués cassou o mandato do prefeito Leonardo de Morais Matos.

“Logo depois que essa história [do áudio] começou a circular nas redes sociais, eu fui até o fórum e peguei uma certidão de antecedentes criminais, afirmando que eu não fui julgado e que não respondo por nenhum processo criminal. Também fui no Ministério Público que também emitiu uma certidão comprovando que não existe qualquer tipo de processo contra mim”, disse o vereador.

Ele afirmou que está sendo perseguido por causa da cassação do prefeito. “Olha, isso aí [a gravação do áudio] tem envolvimento de uma vereadora que é aliada ao prefeito e aqui teve o julgamento contra ele. Foi essa vereadora que colocou isso para me prejudicar, mas eu vou provar que ela está errada”, disse Dimas Rosa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.