Preços baixos é na loja ASTRO-REI de Bom Jesus, realize o seu sonho agora mesmo...
Senac - topo
Rechaud top
kamila Vargas
REDENÇÃO DO GURGUEIA

Prefeitura de Redenção está há três anos sem bloqueio de suas contas

Ontem (05), 14 Prefeituras tiveram suas contas bloqueadas em todo estado.

06/09/2019 15h06Atualizado há 2 semanas
Por: ROBSON FERREIRA
999
999

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) aprovou, na sessão plenária desta quinta-feira, 5, o bloqueio das contas bancárias de 14 Prefeituras, 18 Câmaras Municipais, dois Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) e um consórcio municipal, devido a atraso, ausência de documentação e outras pendências nas prestações de contas mensais ou anual referentes a 2018 e a 2019.

A decisão atendeu a um pedido do Ministério Público de Contas (MPC), formalizado na sessão pelo procurador José Araújo Pinheiro Júnior. Com o bloqueio, os prefeitos e outros gestores ficam impedidos de sacar dinheiro, fazer pagamentos e outras operações nas contas das prefeituras, câmaras municipais e dos consórcios e RPPS.

A cidade de Redenção do Gurguéia, deste que o prefeito Dr. Macaxeira assumiu a gestão, há praticamente três anos, as contas do município nunca mais foram bloqueadas, como aconteciam frequentemente  em gestões anteriores. Tudo isso se dá devido ao trabalho e organização que vem sendo feito pela gestão durante esses anos.

Dr. Macaxeira destaca a importância de mais uma vez Redenção do Gurguéia não aparecer nessa lista. “Durante esses três anos, apenas duas vezes o Tribunal de Contas se manifestou informando que poderia fazer o bloqueio, caso não sanássemos até determinado período que eles deram pra gente tirar essa pendencia, mas efetivamente nunca chegou a ser bloqueadas as contas do município e ficamos felizes com isso, pois com maturidade e organização estamos no caminho certo. Quem não lembra da frase: ‘Não se faz pagamento porque a prefeitura tá com suas contas bloqueadas’, isso não acontece  em nossa gestão. Agradecemos a Deus e a nossa equipe por isso não acontecer em nossa gestão”, destacou Dr. Macaxeira.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.