Sexta, 25 de Setembro de 2020 14:50
89 98127-8118
Dólar comercial R$ 5,56 0.91%
Euro R$ 6,47 +0.54%
Peso Argentino R$ 0,07 +0.91%
Bitcoin R$ 62.835,21 +0.101%
Bovespa 96.580,04 pontos -0.45%
Notícias JERUMENHA-PI

Antiga cadeia de Jerumenha é transformada em Espaço Cultural

Prédio, que estava abandonado, passo por ampla reforma.

28/01/2020 17h24
Por: Redação
Antiga cadeia de Jerumenha é transformada em Espaço Cultural

As paredes da antiga cadeia de Jerumenha, de 1851, ainda preservam a história daquela época, com traços deixados pelos prisioneiros que ocupavam suas celas. O prédio, abandonado há anos, ganhou reforma para abrigar o Espaço Cultural Amélia de Freitas Beviláqua, que será entregue à população nesta terça-feira (28). Foram investidos mais de R$ 186 mil na obra, que agora será a casa de grupos culturais, artesãos, estudantes, visitantes e dos filhos de Jerumenha.

“Esse prédio estava abandonado e conseguimos transformá-lo num espaço para valorização da cultura de Jerumenha. É uma alegria poder entregar mais uma casa de cultura ao Piauí. Esperamos que o Espaço Cultural seja uma referência para moradores e visitantes da cidade, e que eles ajudem a preservar esse patrimônio”, afirma o secretário estadual de Cultura, Fábio Novo.

Com a reforma do espaço, foi criada uma sala para abrigar os ensaios dos grupos de dança de Jerumenha. O local ganhou uma decoração rica em elementos nordestinos, além de espelhos, sistema de som e iluminação, e ventiladores.

As artesãs da cidade também ganharam um cantinho especial. Uma sala onde poderão expor e comercializar seus produtos. O Espaço Cultural possui ainda sala de estudos, com mesas, cadeiras e livros, e sala de reunião. Nas paredes, painéis de até 4 metros contam um pouco a história da cidade.

Essa história também se faz presente na Sala de Exposição, que reúne as relíquias da Igreja de Santo Antônio, padroeiro da cidade. Em outra sala, objetos doados pelos “Filhos de Jerumenha”, também ajudam a dar um novo significado à antiga cadeia do município. Nas paredes de uma das salas onde funcionavam as celas, foram preservados os traços deixados pelos presos que já passaram por ali.

HOMENAGEM – O nome do Espaço Cultural é uma homenagem à escritora e jornalista Amélia de Freitas Beviláqua, que nasceu em 1860, em Jerumenha. Ela foi casada com Clovis Beviláqua, imortal da Academia Brasileira de Letras. Amélia foi ocupante da cadeira 23 da Academia Piauiense de Letras e patrona da cadeira 48 da ala feminina da casa Juvenal Galeno, no Ceará. Amélia foi a primeira mulher do Brasil a pleitear uma vaga na Academia Brasileira de Letras.

OBRA – A obra incluiu a recuperação das estruturas das paredes, retelhamento e recuperação do forro, do piso, pintura da área externa e interna, pintura das esquadrias, além das instalações hidráulicas e sanitárias.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.