Sábado, 30 de Maio de 2020 16:12
89 98115-5652
Dólar comercial R$ 5,34 -0.847%
Euro R$ 5,93 -0.914%
Peso Argentino R$ 0,08 -1.391%
Bitcoin R$ 53.944,82 +1.383%
Bovespa 87.402,59 pontos +0.52%
Notícias BRASIL

Unificação das eleições em 2022 traria 'inferno gerencial' ao TSE, diz Barroso

Ministro é contra o adiamento das eleições municipais para o próximo ano

11/05/2020 17h15
Por: João Victor
Unificação das eleições em 2022 traria 'inferno gerencial' ao TSE, diz Barroso

"O ministro do STF e eleito presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, afirmou, nesta segunda-feira (11), que a unificação das eleições municipais e nacionais podem gerar um “inferno gerencial” no TSE.

Barroso, que já defendeu adiar as eleições, se necessário, pelo mínimo de tempo possível em meio à pandemia do novo coronavírus, voltou a comentar o posicionamento em transmissão ao vivo da Academia Brasileira de Direito Constitucional (ABDConst). “Ou se vão nacionalizar as eleições municipais, ou vice-versa, se vai municipalizar a eleição nacional. Qualquer uma das duas hipóteses é ruim, sem mencionar o inferno gerencial que seria essa coincidência para o TSE”, disse.

Barroso ressaltou o número de candidatos, de 750 mil para eleições de outubro, somado aos para presidente, governador, senador, deputado federal, deputado estadual."

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.