Quarta, 28 de Outubro de 2020 08:44
89 98127-8118
Dólar comercial R$ 5,68 1.25%
Euro R$ 6,72 +1.13%
Peso Argentino R$ 0,07 +0.96%
Bitcoin R$ 80.689,3 -2.004%
Bovespa 99.618,02 pontos -1.38%
Notícias SAÚDE MENTAL

Cuide de sua Saúde Mental em tempos de Pandemia

Leia a coluna ‘Não me Jung porque tá Freud’ da Psicóloga Glícia Moura.

17/06/2020 15h29 Atualizada há 4 meses
Por: REDAÇÃO

A gente vinha em uma rotina corrida, vivendo no automático, com vários papéis acumulados (pais, mães, irmãos, dona de casa, amigas, profissionais), aí veio o Coronavírus! Pah! Esse bichinho pequeno, invisível aos nossos olhos, mas que fez um furacão na vida de todos!

Os papéis que antes eram divididos e ficavam cada um em seu espaço se misturaram, tivemos que reaprender a organizar a nossa vida, nosso trabalho, ressignificar as relações. 

O que era quarentena agora já está em “sessentena”, um pico que nunca chega! Perdemos aos poucos nossa liberdade,que foi sendo substituída pelo medo, medo de adoecer, de passar a doença para quem amamos, medo de se contaminar, entre outros. Como consequência, começamos a nos exigir cada vez mais, melhores rendimentos, nos exigimos estar bem em um período que ninguém pode estar.

Para completar ligamos a televisão ou abrimos as redes sociais e só vemos mortes, falta de leitos em hospitais, pessoas chorando por vaga para seus entes queridos, pessoas que perderam seus meios de sobrevivência, golpes virtuais, auxílio emergencial, briga de poderes. Tudo isso gerando um desconforto emocional e uma incerteza maior!

Nós que já somos ansiosos por natureza, começamos ainda mais a nos preocupar com o futuro, com contas a pagar, com o que pode acontecer, contribuindo para um estado mental que não colabora.

E agora? O que fazer? Infelizmente não é receita de bolo, algo pronto, mas a literatura mostra algumas orientações.

Podemos tentar estabelecer uma rotina mínima diária para nós e para a nossa família, rotina gera segurança em todos, principalmente em crianças, não tem necessidade de algo rígido, contado em relógio, mas algo previsível.

Outra boa pedida é realizar atividades físicas, preferencialmente em casa, fazer exercícios de relaxamento, respiração, meditação, hoje em dia a maioria das pessoas tem acesso à internet e tem como ver alguma aula gratuitamente.

Em relação às mídias digitais, eleja um meio de comunicação confiável e tente limitar a ver no máximo duas vezes ao dia, o excesso de informações aumenta a sensação de ansiedade e angústia.

Cuidado com as “fugas” (bebidas alcoólicas, séries de TV, outras drogas) busque tirar um tempo para a convivência em casa, aproveite para “re”conhecer quem está ali junto com você, sei que não é fácil, mas tente tornar essa convivência mais leve, use vídeo chamadas, contato telefônicos, e-mails, para falar com as pessoas importantes em sua vida e que você não tinha tempo para demonstrar.  Procure colocar em dia alguma atividade que você vem adiando (ler um livro, fazer um curso, arrumar o guarda roupas, etc.).

Tenha um horário consigo mesmo, pare para pensar e prestar atenção a você, aos cuidados que não estava tendo, ao que você precisa melhorar, em que precisa se desenvolver, seja cada dia melhor, não que os outros, mas que você mesmo, tente se superar. As pessoas dizem que a água do rio só corre para o mar, então procure ser a melhor versão de você mesmo! Veja como as coisas irão fluir ao seu favor, procure não dar tanta importância as coisas negativas, preste atenção nas coisas boas, celebre cada vitória! Seja feliz!

Aí eu te pergunto: o que você está fazendo por si mesmo neste período de pandemia!

Paz e luz!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.