Terça, 04 de Agosto de 2020 04:52
89 98115-5652
Dólar comercial R$ 5,31 1.834%
Euro R$ 6,25 +1.688%
Peso Argentino R$ 0,07 +1.662%
Bitcoin R$ 63.644,7 -0.649%
Bovespa 102.829,96 pontos -0.08%
Notícias PIAUÍ

Sinal Vermelho: mulheres podem pedir socorro em 10 mil farmácias no Piauí

Campanha contra a Violência Doméstica.

31/07/2020 08h21 Atualizada há 4 dias
Por: Fonte: Cidade Verde
Sinal Vermelho: mulheres podem pedir socorro em 10 mil farmácias no Piauí

O Tribunal de Justiça do Piauí divulgou nesta quinta-feira (30) que "quase 10 mil farmácias em todo o Piauí já aderiram à campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)". A campanha surgiu para que as vítimas possam denunciar seus agressores, principalmente durante o período de isolamento social, devido a pandemia da Covid-19. Ao chegar ao balcão do estabelecimento, a vítima com um 'x' na mão poderá mostrar o desenho ao funcionário que ele pedirá por ajuda. 

O TJPI explica que "a campanha foi criada com a missão de atenuar os índices de violência contra a mulher e formar uma rede de denúncias segura às vítimas de violência em casos desta natureza, especialmente diante do quadro de isolamento social e das dificuldades advindas, como a dificuldade de as vítimas efetuarem a denúncia junto aos órgãos que lidam com a matéria, pois essas passam a ficar mais tempo confinadas em seus lares com seus agressores".

A tesoureira do Conselho Regional de Farmácia, Joseana Leitão, responsável por acompanhar o projeto pelo CRF no Piauí, relata que o Piauí possui cerca de 15 mil farmácias, mas legalmente registradas no CRF são apenas 2.790.  "O objetivo é que todas participem dessa campanha. Em pouco tempo de lançamento, nós já tivemos alguns retornos, mulheres que já pediram ajuda". 

Leitão comenta que as farmácias não fecharam as portas durante a pandemia ao contrário de outros estabelecimentos, o que ajuda as mulheres vítimas da violência  a denunciarem seus agressores em uma ida de rotina às farmácias. 

Joseana Leitão acrescenta que a Prefeitura de Teresina atua em parceria com o projeto para que, após fazer a denúncia, a vítima tenha assistência social e psicológica.

"A farmácia é um lugar que não está sendo fechado durante a pandemia. Essa mulher (vítima de violência) tem acesso fácil e rápido a esse estabelecimento. Os farmacêuticos e os atendentes  estão sendo preparados para atender essa vítima". 

O TJ destaca que "as cadeias de farmácia no Piauí como Pague Menos, Globo e Drogasil, que totalizam 87 estabelecimentos, já estão fazendo parte desta campanha, atuando nas cidades de Teresina e em 17 estabelecimentos situados em cidades do interior, em Parnaíba, Piripiri, Picos, Floriano e Campo Maior". 

O projeto é uma parceria do CNJ "com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), com apoio dos Tribunais brasileiros e das seccionais das associações de magistrados".  

Adesão 100%

O Tribunal de Justiça também comemora a adesão das farmácias. "Esta semana, a comarca de Itaueira tornou-se a primeira do Piauí a atingir 100% de adesão das farmácias da região à campanha. Além de Itaueira, a comarca abrange ainda o termo judiciário de Rio Grande do Piauí". Ao todo, sete farmácias da cidade tornaram-se parceiras do projeto. 

"Já em Rio Grande do Piauí, situada a 381 km de Teresina, primeira cidade a alcançar 100% de engajamento das farmácias à campanha, a sensibilização dos proprietários de farmácias se deu por parte da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Conselho Municipal da Mulher ", cita o TJPI.

A secretária-executiva da Coordenadoria da Mulher do TJ-PI, Leina Mônica, acrescenta que “a próxima ação da Coordenadoria na comarca de Itaueira será a promoção de uma capacitação junto à rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, como forma de fortalecer o enfrentamento a este fenômeno nos dois municípios".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.